Theodomiro Carneiro Santiago, jovem advogado, cunhado de Wenceslau Braz, depois de viajar por terras americanas e européias, buscando por iniciativa pessoal o melhor sistema de ensino que se adequaria ao cenário brasileiro, voltou ao Brasil e, em 1913, fundou o Instituto Elétrico e Mecânico de Itajubá, IEMI, a décima Escola de Engenharia a se instalar no país.

Desde o início, o IEMI se destacou na formação de profissionais especializados em sistemas energéticos, notadamente em geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. O então Instituto foi reconhecido oficialmente pelo Governo Federal em 05 de janeiro de 1917. O curso tinha, inicialmente, a duração de três anos, tendo passado para quatro anos em 1923 e, em 1936, foi reformulado e equiparado ao da Escola Politécnica do Rio de janeiro e tendo o nome da instituição sido mudado para Instituto Eletrotécnico de Itajubá – IEI em 15 de março daquele mesmo ano. Posteriormente, em 30 de janeiro de 1956, o Instituto foi federalizado e sua denominação foi alterada em 16 de abril de 1968, passando a se chamar Escola Federal de Engenharia de ItajubáEFEI.

A grande competência da Escola conduziram a um desdobramento de seu curso original em cursos independentes, de Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica, com destaque para as ênfases de Eletrotécnica e Mecânica Plena. Em 1968 iniciou os seus cursos de pós-graduação, com mestrados em Engenharia Elétrica, Mecânica e Biomédica, sendo que este último foi descontinuado posteriormente. Em 1980 a Escola ampliou ainda mais suas ênfases, passando a incluir a de Produção no curso de Engenharia Mecânica e a de Eletrônica no curso de Engenharia Elétrica. Já em 2002, com a concretização do projeto de transformação da Escola em Universidade, através da sanção de lei nº 10.435, pelo Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, a EFEI passou a ser UNIFEIUniversidade Federal de Itajubá, oferecendo novos cursos e mantendo a sua tradicional filosofia de ensino.

A UNIFEI dispõe de 96% de seus docentes em regime de trabalho de tempo integral com dedicação exclusiva, sendo 56% com o título de Doutor, 37% com o título de Mestre, 3% com Especialização e 4% Graduados, ou seja, 93% tem Pós- Graduação em nível de Mestrado e Doutorado.

Além do excelente corpo docente, a Universidade conta também com diversos  projetos especiais e dentre eles se encontra o nosso, o Baja. Além do projeto de construção de um protótipo off-road, a UNIFEI tem a Guerra de Robôs,  o Aerodesign e Eco-Veículo, projetos que também representam a Universidade em competições nacionais e internacionais.

Anúncios